A ingestão dos nutrientes adequados para a terceira idade tem relação direta com ganhos de saúde e qualidade de vida. Saiba quais são os mais recomendados suplementos para idosos e como eles podem ajudar.

Saúde e bem-estar. Quem já passou dos 65 sabe bem o valor destas palavras. Mesmo quem se cuidou nas décadas anteriores sente os efeitos naturais do envelhecimento. A boa notícia é que, sim, é possível ter saúde e qualidade de vida na terceira idade. A suplementação alimentar pode fornecer ao corpo os nutrientes que ele mais precisa nesta fase, promovendo a saúde e autonomia dos mais experientes. Confira abaixo seis suplementos recomendados para quem já passou dos 65 anos e quer seguir com saúde.

Suplemento para idosos: os mais recomendados

Ômega-3 e DHA

Esta é uma das faixas etárias em que o ômega-3 é mais recomendado por evitar o declínio cerebral relacionado à idade, como na doença de Alzheimer e outras doenças crônicas do cérebro. Estudos indicam também otimização da função cerebral de cognição, efeito cardioprotetor, diminuição da inflamação crônica e redução nos sintomas de artrite, como dor, rigidez e comprometimento funcional das articulações dos idosos.

Há, no entanto, uma dificuldade enfrentada por muitos na terceira idade ao tomar o ômega-3: engolir as cápsulas um pouco maiores. Nestes casos, a opção pode ser pelo óleo de peixe na forma líquida, com tratamento que neutraliza o gosto de peixe

Colágenos

O colágeno é uma proteína que tem funções muito importantes no organismo. Suas fibras agem como uma espécie de “cola”, auxiliando na coesão de tecidos e órgãos em geral. Já para pele, ossos, cartilagens, tendões e ligamentos, o colágeno fornece hidratação, resistência, elasticidade e flexibilidade.

Com as matérias-primas necessárias, ele é sintetizado naturalmente pelo organismo. Porém, esta produção sofre uma redução natural com o passar dos anos, o que o torna especialmente indicado para os idosos, em especial os colágenos dos tipos I e II. 

Colágeno tipo I

A pele jovem é composta, em média, de 80% de colágeno tipo I e de 15% tipo II. Com o passar dos anos, a capacidade de reabastecer colágeno tipo I diminui naturalmente em cerca de 1,5% ao ano, e as fibras tornam-se mais espessas e curtas, resultando em perda de tipo I e desequilíbrio na proporção entre os tipos. A suplementação com colágeno do tipo I atua na hidratação da pele, na redução de rugas e celulites e no fortalecimento das unhas e cabelos. 

Colágeno tipo II

A cartilagem presente na extremidade dos ossos é constituída por, aproximadamente, 60% de colágeno tipo II. Por razões como inflamação crônica, fraqueza muscular, envelhecimento natural, sobrepeso ou obesidade, as articulações se desgastam. Este desgaste, conhecido como artrose, pode gerar um processo de inflamação e dor. Hoje, estima-se que cerca da metade da população com mais de 50 anos seja acometida por essa degeneração. Estudos mostram que a suplementação com colágeno tipo II pode reduzir a secreção de enzimas que atacam as cartilagens, melhorando o quadro inflamatório

Fibras

As fibras alimentares são essenciais para manter o intestino funcionando bem e de forma regular. As do tipo solúveis prebióticas formam um gel que retém partículas de gordura, retardando sua absorção pelo organismo, promovem um ambiente favorável ao crescimento dos probióticos (bactérias benéficas), como os lactobacillus, além de aumentar a sensação de saciedade. Já as fibras insolúveis aumentam o volume fecal e estimulam o peristaltismo intestinal, diminuindo a constipação. Uma vez que algumas fibras são capazes de se ligar a toxinas, ao estimular o intestino grosso, as fibras são responsáveis por levar estas partículas para fora, ajudando na limpeza intestinal, reduzindo os riscos de câncer de intestino.

As fibras também podem auxiliar na absorção de cálcio e magnésio, ajudando no combate aos sintomas da osteoporose. Elas podem ter influência positiva na cognição e no humor em manifestações clínicas como depressão, ansiedade e Alzheimer. 

Vitaminas

As vitaminas são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Elas são capazes de evitar e auxiliar na cura de doenças, ajudam na absorção dos demais nutrientes ingeridos na alimentação, regulam as funções do nosso corpo, diminuem o estresse e até melhoram o humor.

As principais fontes naturais de vitaminas são as frutas, verduras e legumes, mas também podem ser encontradas nos alimentos em geral. O ideal é ingeri-las diariamente, independentemente da fonte. Vitaminas também são encontradas nos multivitamínicos, que fornecem as quantidades específicas e atendem às necessidades fisiológicas individuais.

Vitamina D

A vitamina D é essencial para a vida, funcionando como uma chave bioquímica que abre as portas de milhares de diferentes processos fundamentais em todas as idades. Entre eles estão absorção de cálcio, o fortalecimento do sistema imunológico, a manutenção do humor, a proteção contra a demência, o auxílio no combate à hipertensão e a redução da mortalidade por certos tipos de câncer. A suplementação eficiente precisa estar na forma de vitamina D3, também conhecida como colecalciferol, uma vez que a vitamina D2 apresenta apenas de 30% a 50% da potência biológica da vitamina D3 para ser convertida na forma metabolicamente ativa desta vitamina dentro do corpo, que é o calcitriol.

Proteínas e aminoácidos

A suplementação de proteína em pó, como o whey protein, ajuda a combater a sarcopenia, que é a diminuição natural da massa muscular pela idade. Isso acontece porque as proteínas, ao serem digeridas pelo organismo, fornecem os aminoácidos que precisamos para reconstruir nossos tecidos musculares. No caso dos que estão na terceira idade e muitas vezes têm dificuldades de digestão, suplementar diretamente com os aminoácidos essenciais é uma opção para reforçar a produção de proteínas pelo organismo. Ambas as opções, quando ingeridas em conjunto com atividades físicas, são suplementos que auxiliam na manutenção da força muscular.

Outra função importante do whey protein que ingerimos é o impulso à produção da glutationa, o mais abundante antioxidante do nosso organismo. Assim, há um reforço no combate a quadros de estresse oxidativo, ligados a diversos males comuns na terceira idade, como Alzheimer, Parkinson e câncer. Há, inclusive, suplementos com whey em que a fórmula é direcionada para potencializar a produção da glutationa.

Coenzima Q10

A coenzima Q10 é produzida naturalmente pelo nosso organismo, mas essa produção pode sofrer declínio com o passar dos anos. Ela está presente em praticamente todas as células do organismo. No entanto, por sua participação na produção de energia a nível celular, ela é mais concentrada em órgãos de grande demanda energética. Entre eles estão o coração, o cérebro, os rins e o fígado.

A coenzima Q10 também atua como antioxidante no nosso organismo. Um estudo mostrou a relação entre suplementação com CoQ10 e redução dos sintomas de fibromialgia, como dor, ansiedade e depressão. Foi registrada ainda uma diminuição em relatos de fadiga crônica e cansaço matinal.

Além do avanço da idade, a ingestão prolongada de estatinas para combater o colesterol prejudica a produção de coenzima Q10 no corpo. 

Glutamina

A glutamina é um dos aminoácidos mais abundantes no nosso organismo, sendo utilizada como fonte de energia por diversos tecidos. No caso dos idosos, sua maior importância está ligada ao sistema de defesa. Ela é a maior fonte de energia das células da mucosa intestinal, que é considerada como uma “parede virtual”, sendo responsável por até 70% da proteção imunológica do corpo humano. A glutamina alimenta as células dos intestinos delgado e grosso, os enterócitos. Quando saudáveis, estas células reduzem a permeabilidade intestinal e dificultam a invasão de patógenos (organismos causadores de doenças, como vírus e bactérias).

A glutamina atua na preservação da função imune, servindo de fonte energética para células de defesa do organismo (os linfócitos) e para precursores de citocinas, que estão envolvidas no processo de resposta imune. Além disso, é um dos precursores da glutationa, o antioxidante que citamos há pouco.

Complemento de refeição

Idosos podem ter uma redução do apetite, dificuldades digestivas, ou restrições que limitam a variedade de alimentos e, por consequência, a diversidade de nutrientes. Nesses casos, um shake nutricionalmente completo pode ser prescrito por médicos e nutricionistas que o acompanham para garantir a ingestão dos micro e macronutrientes em suas quantidades diárias recomendadas. 

Impressionante a quantidade de benefícios de cada suplemento para idosos, não? E eles se tornam ainda mais efetivos quando os suplementos escolhidos são livres de adoçantes e corantes artificiais, açúcar, glúten, lactose e outros componentes que podem comprometer a saúde. Conheça a linha de suplementos da Essential Nutrition e informe-se com seu médico ou nutricionista.

As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Assim, as informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. Por fim, nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essential.

Pool de Aminoácidos Essenciais

R$180,00
Super Ômega 3 TG - 240 cápsulas-0

Óleo de peixe ultraconcentrado em EPA e DHA

R$185,00

Whey Protein Hidrolisado e Isolado + Precursores da Glutationa

R$198,00
CoQ10

Coenzima Q10 + Omega-3 TG + Natural Vitamin E

R$110,00